A ejaculação prematura pode estar correlacionada com a distância entre o ânus e a zona genital
Ejaculação Precoce

A ejaculação prematura pode estar correlacionada com a distância entre o ânus e a zona genital

Pode existir uma relação entre a distância entre o ânus e a zona genital e a probabilidade de sofrer de ejaculação prematura nos homens. Não é a relação mais fácil de fazer, mas é mais facilmente compreendida por um especialista. É um detalhe anatómico que tem sido ligado nos últimos dez anos à maturação anómala do órgão reprodutor masculino, causada por uma exposição a androgénios e, em particular, a testosterona, durante o desenvolvimento fetal. Existem evidências de que a distância entre o ânus e a zona genital pode constituir um indicador muito fidedigno do potencial de reprodução masculino, com uma diminuição da fertilidade quando a proximidade entre a base do pénis e o ânus aumenta. Mas, quando relacionada com a ejaculação prematura, uma perturbação cuja etiopatogenia é pouco compreendida, sabemos ainda menos.

Para tentar esclarecer o assunto, um grupo de investigadores do Fatih Sultan Mehmet Training and Research Hospital em Istanbul levou a cabo um estudo, que foi publicado na revista Andrologia. Foram recrutados 150 homens com idades compreendidas entre os 18 a os 55 anos e divididos em dois grupos, com base nos resultados obtidos com o kit de ferramentas de diagnóstico da ejaculação prematura (PEDT), uma ferramenta de diagnóstico usada para avaliar a probabilidade de sofrer de ejaculação prematura. Os sujeitos com uma classificação PEDT superior a 11 foram colocados no grupo dos ejaculadores prematuros, ao passo que os com uma classificação inferior foram colocados no grupo de controlo. Procedeu-se à medição da distância entre o ânus e a zona genital de todos os homens e depois comparou-se essa distância com os resultados do PEDT. Tal como os investigadores suspeitavam, os homens do grupo com a maior probabilidade de sofrerem de ejaculação prematura apresentavam também uma distância mais curta entre o ânus e a zona genital do que os homens do grupo de controlo.

Os investigadores verificaram também os resultados recorrendo a outros testes de diagnóstico, tais como o IELT (o tempo que decorre até à ejaculação durante relações vaginais), que chegaram às mesmas conclusões. Caso investigações adicionais com um maior número de sujeitos confirme esta ligação, os autores do estudo acreditam que a exposição fetal à testosterona (a causa de uma distância mais curta entre o ânus e a zona genital) poderia ser considerada como uma das causas potenciais da ejaculação prematura.

HFTHQ 20-09

Talvez também lhe interesse