É possível ser feliz sem amor?
Vamos falar sobre sexo

É possível ser feliz sem amor?

Procurar o amor com o intuito de também encontrar a felicidade não é necessariamente a estratégia mais eficiente. Não existem evidências claras que sugiram que o facto de se ter uma relação mais ou menos estável torna a pessoa mais feliz do que outra que fica solteira durante a maior parte da sua vida. Esta ideia foi sugerida pelos investigadores da Michigan State University, no Journal of Positive Psychology, que pediram a mais de sete mil adultos para avaliarem o seu grau de felicidade ao longo das suas vidas e depois tentarem correlacionar esses dados com as histórias das suas vidas.

Na amostra, 79% haviam sido casados a maioria das suas vidas, 8% haviam sido solteiros mais tempo ou não eram casados e os restantes 13% haviam tido várias relações diferentes. Ao analisar as respostas dos participantes, obtidas através de um teste que media se se sentiam mais ou menos felizes, os investigadores observaram diferenças enormes nos grupos. 

Não havia diferença entre aqueles que tinham estado a maior parte das suas vidas solteiros e os que tinham tido várias relações ao longo da vida. Também não se constataram diferenças substanciais nas pessoas que tinham estado casadas a maior parte das suas vidas. Os resultados que obtiveram mostraram que apenas eram ligeiramente mais felizes, de acordo com a descrição dos investigadores. “Quando falamos de felicidade, ser mais ou menos feliz numa relação raramente conta a história toda” afirma William Chopik, um dos autores do artigo.

“As pessoas podem estar em relações infelizes e os solteiros podem encontrar prazer nos outros indivíduos que fazem parte da sua vida ou nos hobbies e no trabalho. Retrospetivamente, se o objetivo é encontrar a felicidade, é uma tolice investir tanto trabalho em encontrá-la apenas num parceiro." Os autores realçam, no entanto, as limitações do estudo. As analisar apenas o estado civil dos participantes é possível deixar escapar outros fatores que têm uma influência igualmente forte na saúde e na satisfação. Fatores tais como a saúde, o trabalho e os filhos influenciam também as relações de várias formas diferentes.

Referências bibliográficas
Journal of Positive Psychology

Talvez também lhe interesse