Existe também uma versão masculina da menopausa
Vamos falar sobre sexo

Existe também uma versão masculina da menopausa

A menopausa, condição que indica a cessação gradual da atividade dos órgãos reprodutivos femininos, tem o seu equivalente masculino. É conhecido como "andropausa" e é bastante variável de homem para homem. Ao contrário da menopausa, cujas manifestações ocorrem repentinamente, a andropausa é um processo muito mais lento e gradual, que geralmente começa após os 40 anos e pode durar várias décadas. "Os níveis de testosterona [a hormona sexual masculina, de.] geralmente começam a diminuir um porcento por ano a partir dos quarenta anos", disse Ronny Tan, urologista do Hospital Mount Elizabeth e do Hospital Parkway West. “E a maioria dos homens começa a sentir as consequências dessa diminuição a partir dos cinquenta anos”. As manifestações de baixa testosterona são geralmente disfunção erétil, perda de ereções matinais, diminuição da libido e força física e perda de massa muscular. Uma pequena percentagem dos homens pode também desenvolver a chamada "ginecomastia", que é um desenvolvimento anormal da mama: o motivo, dizem os especialistas, está no desequilíbrio entre os níveis de estrogénio (hormonas sexuais femininos) e testosterona. Na verdade, os homens produzem estrogénio, embora em menor grau do que as mulheres, e a andropausa, ao diminuir os níveis de testosterona, pode causar um desequilíbrio na relação entre as concentrações de hormonas masculinas e femininas. Também foi observado que a ginecomastia tem maior incidência em homens com excesso de peso: a causa parece estar nos níveis de uma enzima, a aromatase, presente no tecido adiposo e responsável pela conversão da testosterona em estradiol, uma hormona da família do estrogénio.  Um nível mais alto de estradiol está associado ao desenvolvimento do tecido mamário nos homens.

A andropausa é menos estudada e conhecida do que a menopausa: o que sabemos é que a diminuição da testosterona é observada em cerca de 7% dos indivíduos com idades entre 40 e 60 anos e pode atingir 35% dos indivíduos com mais de 80 anos. Uma das dificuldades reside no fato de que os sintomas da andropausa podem ser facilmente confundidos com aqueles causados ​​por outros distúrbios e estilos de vida (stress, por exemplo, que costuma causar fraqueza e diminuição da libido). A "deficiência de testosterona", continua Tan, "está também associada à síndrome metabólica (um conjunto de distúrbios que incluem hipertensão, níveis elevados de colesterol e diabetes, e que geralmente aparecem em uníssono e são bastante comuns), que geralmente não apresenta sintomas específicos." Deve-se considerar também que os homens não são todos iguais: "Como acontece com muitas doenças, a deficiência de testosterona também causa diferentes manifestações nos homens", diz o clínico, "e é por isso que nem todos experienciam a andropausa da mesma maneira." O conselho para lidar melhor com a andropausa é, primeiro, levar um estilo de vida o mais saudável possível, prestando atenção à nutrição e à atividade física e evitando o consumo de álcool e tabaco, e depois entrar em contacto com um especialista para verificar os níveis de testosterona no sangue e, se necessário, suplementar a hormona farmacologicamente.

HFTHQ 21-04
Referências bibliográficas

Talvez também lhe interesse