Não se preocupe: a sua bicicleta não provoca problemas ao nível sexual
Vamos falar sobre sexo

Não se preocupe: a sua bicicleta não provoca problemas ao nível sexual

Ande de bicicleta sem ansiedade. Dois novos estudos desmentem as preocupações que os ciclistas têm quanto ao impacto do ciclismo na sua saúde sexual e urinária. De acordo com os resultados do estudo apresentados na reunião anual da Associação Americana de Urologia, o ciclismo não tem qualquer "efeito significativo" nas funções geniturinárias ou sexuais dos homens e das mulheres. Vamos recuar com a bicicleta um instante. Para além dos benefícios que o ciclismo (e a atividade física em geral) têm na saúde, a comunidade científica tem-se questionado há muito tempo acerca dos possíveis riscos associados à pressão prolongada exercida pelo selim da bicicleta na área perineal.

Receava-se que isto pudesse estar relacionado com a dor, com os problemas nas costas e com a disfunção erétil nos homens e com a disfunção sexual nas mulheres. Ambos os estudos foram o resultado de dois inquéritos realizados a 4.000 atletas masculinos e 2.700 atletas femininas (ciclistas, mas também de outros desportos, incluindo natação e atletismo) que demonstraram que os ciclistas de competição masculinos apresentam os mesmos níveis de disfunção erétil dos outros homens e que o ciclismo não tem qualquer efeito relevante na função sexual ou urinária das mulheres. O tipo de selim utilizado não parece influenciar a saúde urogenital.

Referências bibliográficas
Awad, M., Gaither, T., Chumnarnsongkhroh, T., Metzler I., Sanford T., and Murphy G., PD45-05 The Impact of Cycling on Men's Sexual and Urinary Functions, The Journal of Urology (2017)

Talvez também lhe interesse