Os smartphones e as redes sociais: Destroem relações?
Vamos falar sobre sexo

Os smartphones e as redes sociais: Destroem relações?

As tecnologias interativas (ex., smartphones, internet, redes sociais) fazem parte da nossa vida diária. Estar constantemente ligado aos outros, através de email, redes sociais ou mensagens ,tornou-se na nova norma social, com a maioria a enviar mensagens de texto e a verificar os emails ao longo do dia, e a introduzir  várias redes sociais na nossa rotina diária. A variedade de aplicações nas plataformas aumentou a  dependência  pelos  nossos dispositivos móveis, infiltrando-se na nossa vida social e nas relações amorosas. A bibliografia sobre a influência das tecnologias interativas nas relações focou-se amplamente nos desafios relacionais.

Uma das maiores preocupações relativamente ao uso excessivo do smartphone é a redução (a qualidade) das interações face-to-face, diminuindo não só a satisfação com a relação e o seu compromisso, como aumenta a incerteza do relacionamento. Além disso, as variadíssimas  tarefas da multimedia  pode ser uma distração na relação e no tempo que se passa juntos, levando, em última análise, a uma rutura do equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal.

As invasões e as interrupções diárias devido aos dispositivos tecnológicos (i.e., interferência tecnológica) e atender uma chamada quando se está na companhia do(a) parceiro(a) (i.e., menosprezo telefónico) estão associadas  a  conflitos  maiores no relacionamento e a  uma relação de menor  qualidade. Curiosamente não é o verdadeiro uso do smartphone que aumenta a insegurança e reduz a satisfação com uma relação, mas sim a confiança e a dependência psicológica sobre o mesmo, o vasto número de aplicações e as plataformas de comunicação que estão disponíveis , bem como a necessidade de  se estar constantemente ligado ao smartphone.

Além disso, não é a dependência do próprio mas sobretudo a perceção de dependência do(a) parceiro(a) que prejudica o clima da relação, porque dá a impressão de que o(a) parceiro(a) não se preocupa com a  intimidade. Os efeitos do excesso de conectividade vão para além da relação uma vez que podem conduzir a sentimentos de aprisionamento e depressão. Além disso, os smartphones permitem que seja evitado o contacto face-to-face mantendo a distância psicológica com os outros, o que conduz a um aumento do isolamento e a menos interações autênticas e empáticas  entre as pessoas.

Marieke Dewitte
Professora Assistente
Departamento de Psicologia Experimental, Psicologia Clínica, Departamentos da Faculdade de Psicologia e Neurociências

ESSM
Content written by ESSM View all ESSM contents
Referências bibliográficas
Abbasi, IS. Social Media and Committed Relationships: What Factors Make Our Romantic Relationship Vulnerable? Social Science Computer Review 2019, Vol. 37(3) 425-434.
Amichai-Hamburger, Y, Etgar, S. Intimacy and Smartphone Multitasking—A New Oxymoron? Psychological reports. 2016, 1-13.
de Lenne, O, Wittevronghel. L, Vandenbosch, L, Eggermont, S. Romantic relationship commitment and the threat of alternatives on social media. Personal Relationships. 2019. 26. 680-693.
Seabrook, EM, Kern, ML, Rickard, NS. Social Networking Sites, Depression, and Anxiety: A Systematic Review. JMIR Mental Health 2016;3(4):e50.

Talvez também lhe interesse

ESSM:
Notícias
Vamos falar sobre sexo

ESSM: "A informação de elevada qualidade sobre temas relacionados com a saúde sexual é uma prioridade fundamental"

A Sociedade Europeia de Medicina Sexual (European Society for Sexual Medicine - ESSM) é uma organização pan-europeia multidisciplinar centrada na saúde sexual.

Não se acanhe, a terapia de casais pode salvar o seu relacionamento
Notícias
Vamos falar sobre sexo

Não se acanhe, a terapia de casais pode salvar o seu relacionamento

O sexo, o romance e os relacionamentos são indissociáveis e fazem parte da nossa saúde. Uma vida sexual saudável é uma parte integrante dos nossos relacionamentos amorosos e, apesar de o sexo não ser o componente mais importante, os problemas com ele relacionados continuam a ser uma das principais causas de infelicidade nos relacionamentos ou do seu insucesso.

Transplante peniano: finalmente, uma opção viável
Notícias
Vamos falar sobre sexo

Transplante peniano: finalmente, uma opção viável

Uma equipa de urologia da Cidade do Cabo, na África do Sul, publicou recentemente na prestigiada revista The Lancet um relatório de caso de alotransplante peniano num caso de amputação do pénis com um acompanhamento de 24 meses.